top of page
Buscar
  • Foto do escritorDra. Jamile Rosário Kalil

Dieta para refluxo: saiba o que comer e o que evitar

O refluxo gastroesofágico é uma doença comum que afeta milhares de pessoas em todo o mundo. Os sintomas podem incluir desde azia ou queimação, dor torácica intensa, até doenças pulmonares de repetição, como pneumonias, bronquites e asma, por exemplo.


A melhor forma de evitar as manifestações do refluxo é a adequação de uma dieta equilibrada e mudanças de hábitos.


Descubra nesse artigo os alimentos que você deve incluir e evitar em prol da qualidade de vida!


O que é Refluxo Gastroesofágico?


O refluxo gastroesofágico é uma condição médica em que o ácido estomacal e, por vezes, o conteúdo do estômago, fluem de volta para o esôfago.

Fatores como a dieta, o estilo de vida, a obesidade e outras condições subjacentes podem contribuir para o desenvolvimento do refluxo gastroesofágico.

O tratamento inclui mudanças no estilo de vida, como ajustes na dieta, perda de peso, evitar refeições volumosas antes de dormir e elevação da cabeceira da cama, bem como o uso de medicamentos prescritos ou de venda livre para reduzir a produção de ácido estomacal e aliviar os sintomas.

Se os sintomas forem persistentes ou graves, é importante buscar a orientação de um profissional de saúde para obter um diagnóstico preciso e um plano de tratamento adequado.


Alimente-se com inteligência para o alívio dos sintomas do Refluxo

Uma dieta adequada desempenha um papel fundamental no controle dos sintomas de refluxo gastroesofágico. Aqui estão algumas diretrizes dietéticas que podem ajudar a aliviar o desconforto e reduzir o refluxo:


Alimentos Recomendados


Vegetais de baixa acidez: Opte por vegetais como brócolis, cenoura, couve-flor, batata, abóbora e espinafre.

Proteínas magras: Escolha fontes de proteína magra, como peito de frango sem pele, peixe (exceto peixes gordurosos), peru moído e tofu.

Grãos integrais: Prefira arroz integral, aveia, quinoa e pão integral, por serem ricos em fibras e menos propensos a desencadear refluxo.

Laticínios com baixo teor de gordura: Opte por leite desnatado, queijo com baixo teor de gordura e iogurte natural sem adição de açúcar.

Raízes e tubérculos: Batata, inhame e batata-doce podem ser bem tolerados.

Banana: É uma fruta de baixa acidez e pode ser uma boa opção.

Gengibre: Pode ter propriedades anti-inflamatórias e ser benéfico para o refluxo.

Água: Sempre se mantenha hidratado com água pura, que não contribui para a acidez do estômago.


Alimentos a Evitar


Alimentos gordurosos: Evite alimentos fritos, fast food, carnes gordurosas e produtos de panificação ricos em gordura.

Cítricos: Limões, laranjas, toranjas e tomates podem aumentar a acidez estomacal.

Cafeína: Reduza ou evite café, chá-preto, refrigerantes e outras bebidas cafeinadas.

Chocolate: O chocolate pode relaxar o esfíncter esofágico inferior, permitindo o refluxo.

Hortelã-pimenta e hortelã: Pode relaxar o esfíncter esofágico e agravar os sintomas.

Álcool: Evite o consumo excessivo de álcool, por irritar o revestimento do esôfago.

Bebidas carbonatadas: Refrigerantes e águas gasosas podem aumentar a pressão abdominal e contribuir para o refluxo.


O tratamento vai muito além dos cuidados com os alimentos!


O paciente que sofre com os sintomas do refluxo gastroesofágico também precisa estar atento ao modo como se alimenta e mudar alguns hábitos em prol da qualidade de vida. Entenda:


Refeições menores e mais frequentes: Opte por refeições menores ao longo do dia para evitar excesso de pressão no estômago.

Evite refeições tardias: Não coma grandes refeições antes de dormir; deixe um intervalo de pelo menos 2-3 horas antes de se deitar.

Mastigue bem: Mastigue os alimentos completamente para facilitar a digestão.

Eleve a cabeceira da cama: Se você enfrentar sintomas noturnos, elevar a cabeceira da cama pode ajudar a reduzir o refluxo durante o sono.


Lembre-se de que cada pessoa é única - e o que funciona para uma pessoa pode não funcionar para outra.

Se os sintomas de refluxo gastroesofágico persistirem ou forem graves, é aconselhável consultar um profissional de saúde ou um nutricionista para obter orientações personalizadas e um plano de dieta adequado às suas necessidades.

O paciente que sofre com os sintomas do refluxo gastroesofágico também precisa estar atento ao modo como se alimenta e mudar alguns hábitos em prol da qualidade de vida.


Cuide da sua saúde no CPE!


Se você está enfrentando sintomas persistentes de refluxo gastroesofágico e deseja orientações personalizadas sobre dieta e tratamento, entre em contato com o Centro Paulista de Endoscopia.

Nossos especialistas altamente qualificados podem ajudar a identificar as melhores estratégias para aliviar seus sintomas e melhorar sua qualidade de vida.

Lembre-se de que uma dieta adequada desempenha um papel vital no controle do refluxo.

Faça escolhas inteligentes em relação aos alimentos que você consome para obter alívio e bem-estar duradouros!

Agende sua consulta no Centro Paulista de Endoscopia hoje mesmo e dê o primeiro passo em direção a um alívio eficaz do refluxo gastroesofágico.

273 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page