top of page
Buscar
  • Foto do escritorDra. Jamile Rosário Kalil

Alergia x Intolerância alimentar: entenda a diferença neste artigo!

Alergias e intolerâncias alimentares são condições cada vez mais comuns na sociedade moderna. Contudo, muitas pessoas têm dificuldade de distingui-los e entender as particularidades de cada um deles. Embora ambos envolvam reações adversas a alimentos, as causas subjacentes, os sintomas e os mecanismos biológicos são distintos.


Neste artigo, exploraremos as características de alergias e intolerâncias alimentares, proporcionando um maior entendimento sobre cada condição. Para saber mais, continue a leitura!


O que são as alergias alimentares?


As alergias alimentares são respostas imunológicas do corpo a determinados alimentos. Quando uma pessoa com aversão consome algo desencadeante, o sistema imunológico identifica as substâncias presentes no alimento como ameaças e produz uma reação exagerada para se defender.

A principal causa da alergia alimentar é a produção de anticorpos do tipo IgE, liberados pelo sistema imunológico para combater a substância estranha. Essa resposta imunológica pode ser grave e potencialmente fatal.


Os sintomas de uma alergia alimentar podem variar de leves a graves, dependendo da pessoa e do tipo de alimento envolvido.


Os sintomas leves podem incluir coceira, urticária, inchaço dos lábios, olhos ou face, enquanto sintomas graves podem incluir dificuldade para respirar, queda da pressão arterial, tontura e até mesmo anafilaxia, uma reação alérgica sistêmica que pode ser fatal se não for tratada imediatamente.


Mas o que são as intolerâncias alimentares?


Por outro lado, a intolerância alimentar é uma reação adversa a alimentos que não envolve o sistema imunológico. É causada por uma incapacidade ou dificuldade do organismo em digerir, ou metabolizar certos componentes dos alimentos.


Um exemplo comum de intolerância alimentar é a da lactose, na qual o organismo não consegue digerir adequadamente o açúcar presente no leite e seus derivados.


Os sintomas da intolerância alimentar podem variar - mas estão geralmente relacionados ao sistema digestivo. Pessoas com intolerância à lactose, por exemplo, podem experimentar desconforto abdominal, inchaço, flatulência e diarreia após consumir alimentos lácteos.


Outros exemplos incluem a intolerância ao glúten, intolerância à frutose e intolerância a determinados aditivos alimentares.


Enquanto as alergias alimentares são reações imunológicas específicas, as intolerâncias alimentares são, geralmente, causadas por deficiências enzimáticas ou problemas digestivos.


Isso significa que as alergias podem ocorrer em pequenas quantidades de alimentos desencadeantes, enquanto as intolerâncias geralmente são dose-dependentes, ou seja, a quantidade de alimento consumido está diretamente relacionada aos sintomas.


Alergia e intolerância alimentar: qual a diferença?


O diagnóstico de alergias e intolerâncias alimentares é realizado por profissionais de saúde, como médicos alergologistas e gastroenterologistas. Para alergias alimentares, são utilizados testes cutâneos, sanguíneos específicos e, em alguns casos, de provocação oral, nos quais o paciente consome o alimento sob supervisão médica para observar as reações.


Já para as intolerâncias alimentares o diagnóstico é geralmente baseado na história clínica do paciente, nos sintomas relatados e, em alguns casos, em exames laboratoriais específicos.


O tratamento para essas alergias envolve a exclusão completa do alimento desencadeante da dieta. Os pacientes devem evitar o consumo do alimento alergênico em todas as formas, inclusive em traços e contaminações cruzadas.


Em casos de reações alérgicas graves, como anafilaxia, é necessário o uso de medicamentos como a epinefrina para controlar os sintomas imediatamente e buscar assistência médica de urgência.


Já no caso das intolerâncias alimentares, o tratamento consiste em evitar ou limitar a ingestão dos alimentos que causam sintomas. Em alguns casos, pode ser necessária a orientação de um nutricionista para garantir uma dieta equilibrada e adequada aos nutrientes que poderiam estar faltando devido às restrições alimentares.


É importante ressaltar que o diagnóstico correto é fundamental para o manejo adequado dessas condições. A automedicação ou a exclusão desnecessária de alimentos da dieta podem levar a deficiências nutricionais e impactar negativamente a sua qualidade de vida.


Além disso, é essencial que pessoas com alergias ou intolerâncias alimentares estejam sempre alerta ao ler rótulos de alimentos e informar sobre suas restrições em restaurantes e eventos sociais. O conhecimento sobre os ingredientes dos alimentos e a busca por alternativas seguras são medidas importantes para evitar reações adversas.


Como descobrir se é alergia ou intolerância alimentar?


Para descobrir se você está lidando com uma alergia ou uma intolerância alimentar, é essencial procurar orientação médica.


Um profissional de saúde, como um médico alergologista, gastroenterologista ou nutrólogo, poderá ajudar a realizar uma avaliação adequada e determinar a natureza da sua reação adversa aos alimentos. Aqui estão alguns passos comuns no processo diagnóstico:


História clínica: O médico irá fazer uma série de perguntas detalhadas sobre os sintomas que você experimenta, após consumir certos alimentos. Eles podem questionar sobre a natureza dos sintomas, a rapidez com que eles se manifestam após a ingestão do alimento, a quantidade de alimento necessária para desencadear os sintomas, entre outras informações relevantes.


Exames físicos: Durante a consulta, o médico poderá realizar um exame físico para identificar sinais de uma reação alérgica, como urticária, inchaço ou dificuldade respiratória.


Testes de alergia: Se a suspeita for de alergia alimentar, o médico pode recomendar testes específicos, como testes cutâneos ou testes de sangue. Nesse caso, envolvem aplicar pequenas quantidades de extratos alimentares na pele para verificar se ocorre uma reação alérgica local. Já os testes sanguíneos medem os níveis de anticorpos IgE específicos para determinados alimentos.


Testes de provocação oral: Em alguns casos, especialmente quando os resultados dos testes não são conclusivos, o médico pode recomendar um teste de provocação oral. Isso envolve consumir o alimento suspeito sob supervisão médica para observar qualquer reação.


No caso das intolerâncias alimentares, o diagnóstico é geralmente baseado na história clínica e nos sintomas relatados. O médico pode solicitar exames laboratoriais para descartar outras condições - mas, muitas vezes, a exclusão do alimento suspeito da dieta e a observação dos sintomas são suficientes para confirmar a intolerância.


Lembrando que cada caso é único, e o processo diagnóstico pode variar dependendo da situação individual. É importante sempre buscar a orientação de um profissional de saúde para obter um diagnóstico preciso e um plano de cuidados adequado.


Centro Paulista de Endoscopia: cuide da sua saúde com a gente!


Em resumo, alergias e intolerâncias alimentares são condições distintas com mecanismos biológicos diferentes. As alergias são reações imunológicas a determinados alimentos, enquanto as intolerâncias são causadas por dificuldades digestivas ou metabolismo de certos componentes alimentares.


O diagnóstico correto e o tratamento adequado são essenciais para gerenciar essas condições e garantir uma dieta saudável e segura. Se você suspeitar de alguma alergia ou intolerância alimentar, é importante buscar orientação médica para um diagnóstico preciso e um plano de cuidados adequado.


Veja como o Centro Paulista de Endoscopia pode te ajudar acessando aqui!


102 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page