Buscar
  • Dr. Christiano Makoto Sakai

O estresse e o trato digestivo: entenda a relação


Você sabe qual a relação entre estresse e o trato digestivo? É verdade que altos níveis de estresse podem prejudicar o organismo, inclusive o sistema gastrointestinal.


Quem nunca teve que falar em público, ficou nervoso e sentiu “borboletas no estômago”? Para entender o motivo disso acontecer, é preciso saber que existe uma conexão complexa entre o cérebro e o sistema digestivo.


Vamos entender melhor essa relação na leitura a seguir.


Causas entre a relação do estresse e o trato digestivo


Pessoas que estão imersas em alguma situação estressante por vários dias, ou mesmo que passam por algum momento pontual muito estressante, têm seu estômago diretamente afetado.


O estômago e o intestino possuem mais células nervosas do que toda a medula espinhal. Prova disso é que cerca de 90% da serotonina (neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar) é encontrada no sistema digestivo e não no cérebro. O intestino, por essa razão, é conhecido também como “segundo cérebro”.


Quando o cérebro se sente estressado, uma série de cascata de hormônios coloca o sistema nervoso em alerta. O hormônio liberador de corticotropina (CRH) é bombeado para o cérebro em situações estressantes, a fim de iniciar a produção de adrenalina e esteróides. Mas, além disso, o CRH também inibe o apetite, e é por isso que as pessoas perdem a fome em situações estressantes.


Consequências do estresse no trato digestivo


Saiba mais sobre as consequências que o estresse causa no organismo humano!


● Síndrome do Intestino Irritável (SII): essa doença comum traz como sintomas cólicas dolorosas, diarreia e/ou constipação. A relação com o estresse não é clara, apesar da síndrome piorar por esse fator. Especialistas supõem que o estresse ocasiona movimentos descoordenados do intestino, causando desconforto.


● Úlcera: quando alguém está submetido a um alto nível de estresse, pode perder o apetite e parar de comer. A úlcera é um quadro de gastrite evoluído, causado pelo ácido clorídrico agindo diretamente na mucosa do estômago e/ou intestino.


Indigestão: também conhecido como dispepsia funcional, causa ronco, dores e queimação no estômago por causa do estresse. Com o estresse, a produção de ácido e a deglutição de ar aumentam, promovendo a má digestão.


Azia: existem fortes especulações baseadas em fatos científicos de que o estresse aumenta a produção de ácido no estômago e torna o esôfago mais sensível à dor.


Buscando ajuda para o estresse e trato digestivo


Se você sente que seu sistema digestivo não está funcionando bem, é hora de buscar ajuda médica de um especialista. O gastroenterologista é o profissional adequado para fazer o diagnóstico a partir dos sintomas relatados pelo paciente.


Como desestressar e cuidar do intestino


Como citado anteriormente, cerca de 90% da serotonina, neurotransmissor que, entre outras funções, promove bom humor e melhora as funções cognitivas, está concentrado no trato intestinal.


Quando esse trato digestivo funciona corretamente - ou seja, quando seus movimentos peristálticos são adequados -, os níveis de serotonina se concentram e permitem o funcionamento saudável do intestino.


E como fazer para desestressar e, consequentemente, contribuir para um estômago e intestino saudáveis?


Primeiramente, é importante seguir uma dieta diversificada para dinamizar a microbiota intestinal.


Essa microbiota ou flora intestinal contém milhões de microrganismos, como bactérias, vírus e fungos, que habitam o trato gastrointestinal e são importantes para o bom funcionamento do organismo e até para a renovação celular.


Para quem já possui problemas intestinais diagnosticados, evitar álcool, cafeína e comidas apimentadas é uma boa forma de reduzir os danos causados pelo estresse no trato digestivo.


Agora, para reduzir os níveis de estresse e ter mais qualidade de vida, também é preciso buscar ajuda para cuidar da saúde mental. Psicoterapia, meditação, ter um tempo livre para fazer o que gosta são hábitos importantes para implementar na rotina, que impactam diretamente na saúde do intestino.


Lembre-se de procurar também por um gastro de confiança. Os profissionais do Centro Paulista de Endoscopia (CPE) estão prontos para te atender com cuidado e profissionalismo!

15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo