Buscar
  • Dra. Jamile Rosário Kalil

O que é e para que serve a CPRE

Você pode já ter ouvido falar sobre CPRE, mas você sabe do que se trata?

CPRE é a sigla para o exame chamado colangiopancreatografia retrógrada endoscópica. O procedimento é utilizado para investigar e diagnosticar doenças no trato biliar e pancreático, como pancreatite crônica, colangite ou colangiocarcinomas.


O exame tem como principal vantagem a realização de um diagnóstico sem precisar realizar nenhuma cirurgia, além disso, pessoas que possuem problemas mais simples como pequenas pedras nos canais biliares, podem ter seu tratamento feito através desse procedimento.


Mas saiba que esse exame (CPRE) só é recomendado em casos de procedimentos de ecografia e ressonância magnética que não identificarem com precisão o problema do paciente.


PARA QUE SERVE A CPRE


Como foi falado anteriormente, o exame é feito para diagnosticar problemas relacionados com o trato biliar ou pancreático, veja abaixo quais são esses quadros:


● Pedra na vesícula;

● Infecções na vesícula;

● Pancreatite;

● Tumores ou câncer nos canais biliares;

● Tumores ou câncer no pâncreas.


O exame geralmente é escolhido pela sua flexibilidade em diagnosticar e tratar, função que muitos procedimentos simples não conseguem fazer.


COMO É FEITO O EXAME


O exame é realizado entre 30 a 90 minutos. O paciente fica sob efeito de uma anestesia geral para não sentir nenhuma dor ou desconforto durante o procedimento.


O exame é feito com o auxílio de um tubo fino que possui uma câmera na ponta, inserido na boca, o instrumento é utilizado para o médico conseguir observar os canais biliares e avaliar se possui algum tipo de alteração no local.


Caso o paciente apresente alguma alteração, o médico utilizando o mesmo instrumento, injeta uma substância radiopaca no local. Logo após, é tirado um raio X abdominal para conseguir verificar os canais que foram preenchidos pela substância.


Ainda utilizando o mesmo tubo do CPRE, o médico consegue fazer a retirada de pedras na vesícula caso seja possível.



COMO É FEITA A PREPARAÇÃO PARA O EXAME


Normalmente, o preparo para a realização do exame é simples. É recomendado que o paciente faça um jejum de 8 horas, neste período ele deve evitar ingerir qualquer tipo de alimento ou bebida. Uma conversa com seu médico antes do procedimento irá fazer toda a diferença, pois além dessa medida, talvez ele peça que você deixe de tomar algum medicamento específico.


Um fator importante! Como o paciente precisa ficar sob efeito de anestesia durante a cirurgia, é necessário que ele esteja junto de uma acompanhante, para garantir que a partida para casa seja segura.



POSSÍVEIS RISCOS DE EXAME


Os riscos para esse tipo de exame são bem baixos, no entanto como qualquer procedimento existem alguns riscos que precisam ser ditos, veja abaixo quais são eles:


● Infecção dos canais biliares ou pancreáticos;

● Hemorragia;

● Perfuração dos canais biliares ou pancreáticos.


O maior risco que o procedimento pode causar é em relação a anestesia, o paciente pode desenvolver algum tipo de reação incompatível com os anestésicos utilizados. Por esse motivo, é importante informar para seu médico se você já teve problemas com anestesia no passado.


PÓS PROCEDIMENTO


Após a cirurgia, o paciente é levado até o leito onde ficará internado em observação por um tempo até a anestesia passar. É normal que sinta alguns desconfortos abdominais, mas caso tudo ocorra bem, o paciente poderá voltar para sua casa no dia seguinte e voltar com sua dieta normalmente. Ingerindo sempre muito líquido e alimentos leves.


RESTRIÇÕES DO CPRE


O procedimento não é recomendado para as gestantes e pessoas que possuem pancreatite aguda. A substância utilizada possui radiação ionizante, o que pode ser altamente prejudicial para esses dois casos.


Caso você tenha gostado do conteúdo, compartilhe com seus amigos e familiares e nos ajude a conscientizar toda a população sobre o exame de CPRE. Se você tem tido problemas como, pedra na vesícula, infecções na vesícula ou pancreatite, venha nos consultar para realizarmos uma avaliação. Juntos podemos achar a melhor alternativa para tratar o seu caso.


Nos siga nas redes sociais, por lá você fica sabendo dos conteúdos novos que divulgamos em nosso Instagram e Facebook. Se você gostou do artigo, não se esqueça de compartilhar também com seus amigos e familiares.


Quer saber mais sobre temas relacionados ao sistema gastrointestinal? Continue navegando em nosso blog!



11 visualizações0 comentário