Buscar
  • Dr. Christiano Makoto Sakai

Riscos do tabagismo para saúde intestinal

Nos últimos anos, diversos estudos e especialistas evidenciaram os vários riscos que o tabagismo pode oferecer para nosso organismo - e a nossa saúde intestinal está inclusa nisso.

É por isso que o Instituto Nacional do Câncer (INCA) criou o Dia Nacional de Combate ao Fumo em 29 de agosto, visando reforçar ações nacionais de conscientização da população para danos sociais, políticos, econômicos, ambientais e regulamenta o tabagismo como problema de saúde coletiva.


Neste artigo, vamos entender melhor quais as complicações do tabagismo para a nossa saúde intestinal. Boa leitura!


Complicações e estatísticas do tabagismo


O Instituto Nacional do Câncer (INCA) fez um levantamento e mostrou que o tabagismo é diretamente responsável por 80% das mortes por câncer de pulmão.


Além disso, o cigarro também pode causar e favorecer outros tipos de câncer, como de boca, faringe, laringe, pâncreas, estômago, bexiga e, até mesmo, o de intestino.


Mas não só o câncer, as consequências do tabagismo são muitas: ele também aumenta o risco de muitas doenças fatais em todo o nosso corpo. Entre elas, estão o enfisema, doenças cardíacas e doenças do sistema digestivo.


Estudos mostram que cerca de um quinto da população adulta fuma e, assim, a cada ano, milhares morrem de doenças causadas pelo fumo.


Entendendo a importância da saúde intestinal


Afinal, você sabe para que serve o intestino e por que a saúde intestinal é tão importante para nosso corpo?


O intestino é um órgão com cerca de 7 a 9 metros de comprimento que compõem nosso sistema digestivo. Ele tem formato de tubo e vai do final do estômago até o ânus, por onde o alimento passa em nosso corpo quando o consumimos.


Dessa forma, a principal função do intestino nesse sistema é facilitar a absorção dos nutrientes e da água que ingerimos e ajudar na eliminação dos resíduos.


Muito além disso, em especial, nesse órgão, existe uma flora de bactérias que atuam até mesmo em nossa saúde mental. Ou seja, ter uma boa saúde intestinal também significa absorver tudo o que o organismo precisa para evitar problemas como ansiedade, estresse e depressão.


É no intestino, também, que estão 70% das células do nosso sistema imunológico.


Então, quais outras doenças o tabagismo pode trazer para nossa saúde intestinal?

O tabagismo contribui para muitas doenças do aparelho digestivo. Entre elas, estão a azia, doença do refluxo gastroesofágico (DRGE), pancreatite, cálculos biliares e algumas doenças do fígado.


Para o intestino em específico, além do câncer, pode causar úlceras pépticas, doença de Crohn e pólipos do cólon. Confira mais sobre elas abaixo.


Úlcera péptica


Essa doença, causada pela infecção da bactéria H. pylori, é caracterizada pela presença de feridas que podem aparecer tanto na parede interna do estômago quanto no duodeno, a primeira parte do intestino delgado.


Podemos dizer que o tabagismo aumenta o risco de infecção pelo H. pylori e, para pacientes que já apresenta a condição, o cigarro retarda o processo de cicatrização das úlceras e aumenta sua probabilidade de recidivar.


Isso porque o tabagismo diminui o fluxo sanguíneo e a produção de muco, deixando os órgãos propensos a adquirirem a úlcera péptica.


Pacientes que já apresentam a H. Pylori devem cortar imediatamente o hábito para que o tratamento seja realizado com sucesso.


Doença de Crohn


A condição é a inflamação e irritação do trato digestivo e afeta mais frequentemente a parte inferior do intestino delgado.


A nicotina é conhecida por promover essa afecção, deixando o indivíduo propenso a desenvolver a condição ou sentir de forma mais severa seus sintomas do que pessoas não fumantes, como dor abdominal e diarreia.


Se não tratada e levada a sério, a condição pode levar a complicações, como bloqueio do intestino e úlceras, exigindo cirurgias. Pacientes fumantes podem, inclusive, sofrer com a volta dos sintomas mesmo após o procedimento.


Pólipos do Cólon


A doença acontece quando existem pequenos tumores, que podem ser benignos mas se desenvolverem como cancerosos a longo prazo.


Eles crescem no interior da superfície do cólon, no intestino grosso, ou do reto. O tabagismo é um dos fatores de risco no processo de desenvolvimento dos pólipos, nos quais os fumantes têm pólipos maiores, mais numerosos e com maior possibilidade de recorrência.


Priorize sua saúde e elimine o hábito de fumar


Abandonar o fumo é a medida ideal para reverter ou diminuir alguns dos efeitos do tabagismo sobre o sistema digestivo e doenças adquiridas.


Portanto, priorize sua saúde adquirindo hábitos compatíveis com o seu bem-estar e lembre-se de deixar seus exames de check-up em dia!


Agende sua consulta no Centro Paulista de Endoscopia!

28 visualizações0 comentário