Buscar
  • Dra. Jamile Rosário Kalil

Diferenças entre o médico Endoscopista X Coloproctologista

Você já ouviu falar no médico endoscopista e no médico coloproctologista? Sabe quais as diferenças entre essas duas especialidades?

Apesar de se tratar de duas áreas médicas que realizam o diagnóstico e o tratamento de órgãos relacionados ao sistema digestivo, elas possuem suas particularidades e diferenças, principalmente nas suas principais estruturas de estudo.


Se você tem dúvidas, não se preocupe. Iremos te explicar exatamente o que fazem essas duas especialidades nesse artigo. Boa leitura!


Médico endoscopista: o que faz?


O médico endoscopista é o profissional especializado em diagnosticar e tratar doenças do aparelho digestivo.


Esse profissional é formado em Medicina e realiza residência médica em áreas definidas pela AMB como pré-requisitos para se tornar um endoscopista digestivo, como Clínica Médica, Cirurgia Geral, Gastroenterologia, Cirurgia do aparelho digestivo, Coloproctologia e Gastroenterologia Pediátrica.


Quais doenças o endoscopista trata?


As principais doenças tratadas pela especialidade do endoscopista são o refluxo, esôfago de Barrett, gastrite, úlceras e cânceres de esôfago, intestino, estômago e cólon e reto.


A endoscopia digestiva é o exame principal realizado. É feito por meio de orifícios naturais, retirando tecidos para posterior biópsia e até mesmo extrair pequenos tumores, dispensando, nesses casos, a necessidade de cirurgia.


Atualmente, o endoscopista também tem sido responsável pela inserção do balão intragástrico, utilizado em cirurgia para redução do estômago em casos de obesidade para auxiliar no emagrecimento.


Exames do endoscopista


Tem dois tipos de endoscopia digestiva e, no geral, os procedimentos levam entre 5 a 20 minutos, a depender da complexidade. São realizados com o paciente sedado.

Endoscopia digestiva alta

A endoscopia digestiva alta é um exame que analisa a mucosa do esôfago, estômago e o duodeno, a primeira parte do intestino delgado. Assim, o objetivo é investigar problemas nessas regiões, como refluxo, gastrite, úlceras, infecções e tumores.


Os sintomas de alerta para a realização da endoscopia digestiva alta são engasgo, fezes negras, vômito com sangue, azia, dor ou desconforto na parte superior do abdômen e dificuldade ou dor para deglutição. Em qualquer um desses casos, é importante procurar esse especialista.


Colonoscopia

Já o outro tipo de endoscopia digestiva é a colonoscopia, ou endoscopia digestiva baixa. É o exame que permite ver o intestino grosso e coletar materiais para biópsias.


Tem a função de investigar doenças ou, ainda, prevenir o câncer colorretal - neste último caso, o exame é recomendado para todas as pessoas a partir dos 50 anos e se houver histórico na família.


Alguns sintomas de indicação de colonoscopia são sangramento nas fezes, perda de peso involuntária, dor abdominal, muco ou pus nas fezes, alteração da frequência e/ou aparência das fezes.


Médico coloproctologista: o que faz?


O coloproctologista, diferentemente do endoscopista, é um cirurgião. É a parte da gastroenterologia com foco no diagnóstico e tratamentos cirúrgicos de doenças que acometem nosso intestino delgado, intestino grosso, reto e ânus.


Esse profissional é formado em medicina com formação avançada em problemas do intestino, além de ter tido treinamento na especialidade da cirurgia geral.


Quais doenças o coloproctologista trata?


O coloproctologista é o médico responsável por orientar sobre problemas como constipação intestinal, distúrbios na evacuação, prevenção do câncer de intestino e prevenção contra as doenças sexualmente transmissíveis.


Dessa forma, as doenças que ele trata são as relacionadas aos tópicos acima, como as hemorroidas, fissuras anais, abcessos perianais, fístulas perianais, prolapso retal, tumores benignos e malignos do intestino grosso, do intestino delgado e do reto, doença diverticular do intestino, doenças intestinais inflamatórias específicas e não específicas etc.


Coloproctologista: exame de toque retal


O exame principal para o encaminhamento dos tratamentos é o toque retal.


Dessa forma, o médico pode avaliar o orifício anal, os esfíncteres e a parte final do intestino e identificar a presença de nódulos, lesões, orifícios fistulosos, fezes, sangue nas fezes e hemorroidas internas.


Se este não bastar, outros exames também servem para avaliar de maneira mais assertiva as estruturas do paciente, como a anuscopia e a retossigmoidoscopia, com a inserção de um aparelho que capta imagens.


Agora que você sabe a diferença entre os dois especialistas endoscopista e coloproctologista, lembre-se: o acompanhamento médico de rotina é a melhor forma de se prevenir contra doenças e garantir sua saúde.


Já consultou esses profissionais nesse ano? Entre em contato, vamos fazer uma avaliação!


15 visualizações0 comentário